Carta aberta aos “trabalhadores” CP/Metro

Caros “Trabalhadores” de veículos de transporte públicos que se deslocam sobre carris: vão para o caralho! Isto, claro está, se os transportes em questão não estiverem de greve, mas acredito que poderão fazê-lo a pé, visto que no dia a dia não se cansam muito. Basta passar por qualquer um de vocês e ver que esforço físico é algo que desconhecem (retiro aqui da equação os técnicos de manutenção, porque esses são mesmo invisíveis).

Eu sei que as palavras que tenho para vos dizer não são bonitas. Passam sempre por combinações básicas como: “filhos de um grande puta”, “cabrões de merda”, “preguiçosos do caralho” e assim por diante. Isto porque há uma palavra que desconhecem, e que talvez devessem aprender: responsabilidade.

Parece uma palavra simples, não é? Pois, mas ser responsável é muito dificil, e vocês claramente não compreendem semelhante conceito. Eu sei, foi coisa que não aprenderam até à quarta classe, mas hoje em dia podem pesquisar online e tudo.

Há outra: respeito. Mas como vocês podem compreender, já perdi todo aquele que alguma vez poderia ter por vocês

Felizmente não devem nada à inteligência, e não se apercebem que com estas greves, as únicas pessoas prejudicadas são os utentes/clientes/utilizadores. Vocês acabam por não receber o valor salarial pelo dia de greve; a empresa não tem custos no dia de grave; quem já pagou o passe, não pode fazer nada se não olhar para ele e pensar: como seria bonito se fosse reembolsado por cada vez que estes merdas fazem greve…

Enfim, acho que ainda não fui muito explicito quando digo que quero que vocês de fodam todos, sindicalistas e carneiristas. Ao contrário da TAP, gostaria que fosse possível fazer uma “requisição privada” para provatizar ambas as empresas e talvez aí o conceito de responsabilidade fosse incutido nesses mentes pequenas e retrógradas.

Longe vai o tempo em que compreendia a vossa atitude, mais longe ainda vai o tempo em que vos aplaudia. Agora apenas quero que se fodam, e perdoem-me a repetição, mas preciso que percebam mesmo a ideia. E não é “quero que se fodam com prazer”, compreendo que no vosso caso tenho que explicar muito bem as coisas. “Quero que se fodam” duma maneira bastante desagrável.

Entretanto, um feliz natal, que entrem no novo ano com o pé que quiserem e, não sei se já vos disse para ir para o caralho… bem, perceberam a ideia…

PS: se algum trabalhador das empresas citadas se sentir ofendido, gostaria de acrescentar que “Pedimos desculpa pelos incómodos causados”.

Abraçinhos

Anúncios